Tema nº 944

entre mudanças e constâncias do campo jurídico

Autores

  • Marcirio Gessinger Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Palavras-chave:

sociologia do campo jurídico;, processo decisório, direitos humanos, Supremo Tribunal Federal

Resumo

o presente artigo procura entender como a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal foi modificada para possibilitar que a imunidade de jurisdição fosse afastada em razão de atos de império que violassem direitos humanos. Para isso, escolheu-se o Tema nº 944 como estudo de caso, visto que é a partir dele que a jurisprudência desse tribunal é alterada. A fim de entender esse fenômeno, utiliza-se da Sociologia do Campo Jurídico de Bourdieu. Assim, busca-se entender a mobilização de capital simbólico por parte dos ministros para embasar suas decisões: doutrinas, jurisprudências e leis citadas, por exemplo. Para remodelar a jurisprudência, o Ministro Edson Fachin precisou mobilizar mais capital simbólico que os demais, fazendo uso de um capital muito internacionalizado, ou seja, um capital que busca legitimação na esfera internacional. Por outro lado, a nova jurisprudência do STF aponta no sentido de que boa parte dos ministros já tencionava ao encontro dessa mudança, culminando nesse ato enunciativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcirio Gessinger, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Analista Jurídico/SEDUC RS; mestrando pelo PPGD/UFRGS; ORCID: 0000-0003-4162-4285; email para contato: marciriogessinger@yahoo.com.br.

Referências

ACCIOLY, Hildebrando; CASELLA, Paulo Borba; NASCIMENTO E SILVA; Geraldo Eulálio. Manual de Direito Internacional Público. 20ª ed. São Paulo: Saraiva. 2012.

AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli de. A força do direito e a violência das formas jurídicas. In: Rev. Sociol. Polít. Curitiba. v. 19. n. 40. 2011. p. 27-41. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rsocp/a/sGw6HzB7V4YWwPrPRhcNyCq/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 jan. 2022.

BAPTISTA, Bárbara Gomes Lupetti; LIMA, Roberto Kant de. Como a Antropologia pode contribuir para a pesquisa jurídica? Um desafio metodológico. In: Anuário Antropológico. v. 39. n.1 2014. p. 9-37. Disponível em: https://journals.openedition.org/aa/618. Acesso em: 14 jan. 2022.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2007a.

BOURDIEU, Pierre. O capital social – notas provisórias. In: CATANI, Afrânio; NOGUEIRA, Maria Alice. Escritos de educação. 9ª ed. Petrópolis: Vozes, 2007b.

BOURDIEU, Pierre. Meditações pascalinas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil S.A. 1989.

BOURDIEU, Pierre. Sobre as artimanhas da razão imperialista. In: CATANI, Afrânio; NOGUEIRA, Maria Alice. Escritos de educação. 9ª ed. Petrópolis: Vozes, 2007c.

BRASIL. Constituição Federal da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 08 fev. 2022.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Recurso Ordinário nº 74/RJ. 4ª Turma. Relator: Ministro Fernando Gonçalves. Recorrente : Josélia Da Silva Marques. Recorrido : República Federal Da Alemanha. Julgado em: 21 mai. 2009. Publicado em: 08 jun. 2009. 2009c. Disponível em: https://scon.stj.jus.br/SCON/GetI;nteiroTeorDoAcordao?num_registro=200800768624&dt_publicacao=08/06/2009. Acesso em: 02 fev. 2022.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Tema nº 944. Os atos ilícitos praticados por Estados estrangeiros em violação a direitos humanos não gozam de imunidade de jurisdição. 2021a. Disponível em: http://portal.stf.jus.br/jurisprudenciaRepercussao/verAndamentoProcesso.asp?incidente=4943985&numeroProcesso=954858&classeProcesso=RE&numeroTema=944. Acesso em: 02 fev. 2022.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário com Agravo nº 954.858/RJ. Recorrentes: Karla Christina Azeredo Venâncio da Costa e outros. Recorrido: República Federal da Alemanha. Relator: Ministro Edson Fachin. Julgado em: 23 ago. 2021b. Publicado em: 24 set. 2021b. Disponível em: https://jurisprudencia.stf.jus.br/pages/search/sjur453238/false. Acesso em: 02 fev. 2022.

CASTRO, Felipe Araújo. Bourdieu meets Pachukanis. In: Rev. Direito Práx., Rio de Janeiro, Ahead of point, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/38793/29363. Acesso em: 08 fev. 2022.

COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, María del Pilar Baptista; SAMPIERI, Hernández. Metodologia de Pesquisa. 5ª ed. Porto Alegre: Penso. 2013.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPQ). Currículo de Antonio Augusto Cançado Trindade. Atualizado em: 02 ago. 2010. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/3240337461206908. Acesso em: 09 fev. 2022.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPQ). Currículo de Pedro Guimarães Vieira. Atualizado em: 16 out. 2020. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/1753031355938580. Acesso em: 10 fev. 2022.

DANTAS, Marcus Eduardo de Carvalho. Dogmática “opinativa”: o exemplo da função social da propriedade. In: Direito GV. v. 13. n. 3. Set.-dez. 2017. p. 769-795. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/revdireitogv/article/view/73325/70467. Acesso em: 14 jan. 2022.

EDITORA ALFA OMEGA. O problema da verdade. Descrição. 2021 [?]. Disponível em: https://alfaomega.com.br/loja/filosofia/o-problema-da-verdade/. Acesso em: 10 fev. 2022.

GESSINGER, Marcírio Barcellos Gessinger. A Convenção Americana de Direitos Humanos pelo TRT4. In: Res Severa Verum Gaudium. Porto Alegre. v. 4. n. 2. 2019. pp. 66-84. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/ressevera verum gaudium/article/view/95628. Acesso em: 09 fev. 2022.

GESSINGER, Marcírio Barcellos. Direito Internacional Público às Margens: O Ensino Jurídico nas Faculdades de Direito do Rio Grande do Sul. Curitiba: Appris. 2021.

INTERNATIONAL COURT OF JUSTICE (ICJ). Jurisdictional immunities of the state (Germany vs Italy: Greece intervening). Judgment of 3 February 2012. Disponível em: https://www.icj-cij.org/public/files/case-related/143/143-20120203-JUD-01-00-EN.pdf. Acesso em: 10 fev. 2022.

JIMENEZ, Martha Lucía Olivar. Brasil y las inmunidades de Estado extranjero: nuevos desafios para las cortes nacionales?. In: TELLUNI, Denise Estrela; JOBIM, Geraldo Cordeiro; JOBIM, Marco Felix (Orgs.). Tempestividade e efetividade processual: novos rumos do processo civil brasileiro. Estudos em homenagem à Professora Elaine Harzheim Macedo. 1ª ed. Porto Alegre: Plenum. 2010. p. 615-640.

JIMENEZ, Martha Lucía Olivar; MOSCHEN, Valesca Raizer Borges. Las inmunidades de Estado extranjero y los tribunales brasileños - avances y nuevos desafíos. In: ARROYO, Diego Fernández; MARQUES, Claudia Lima (Orgs.). Derecho Internacional Privado y Derecho Internacional Público: un encuentro necesario. 1ª ed. Asunción, Paraguay: CEDEP, ASADIP, BRASILCON. 2011. p. 449-467.

LIMA, Roberto Kant de. Antropologia jurídica. In: LIMA, Antonio Carlos de Souza. Antropologia & Direito: temas antropológicos para estudos jurídicos. Blumenau: Nova Letra. 2012.

LORCA, Arnulf Becker. International Law in Latin America or Latin American International Law? Rise, Fall, and Retrieval of a Tradition of Legal Thinking and Political Imagination. In: Harvard International Law Journal, Volume 47, Number 1, Winter 2006. pp. 283-306. Disponível em: https://poseidon01.ssrn.com/delivery.php?ID=436070084067083010126089021072119098100075028006087054119099102100087064077080091022097027039000046111005101109124124094098064042057047080049026103101074078071090091004081083009080127016065116127001075094114082077094121014067107088085100075092072085105&EXT=pdf. Acesso em: 09 fev. 2022.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Statue of the International Law Commission. Adopted by the General Assembly in resolution 174 (II) of 21 November 1947, as amended by resolutions 485 (V) of 12 December 1950, 984 (X) of 3 December 1955, 985 (X) of 3 December 1955 and 36/39 of 18 November 1981. Disponível em: https://legal.un.org/ilc/texts/instruments/english/statute/statute.pdf. Acesso em: 09 fev.2022.

PONZILACQUA, Márcio Henrique Pereira. A sociologia do campo jurídico de Bourdieu e Dezalay. In: Rev. Direito e Práx. Rio de Janeiro. v. 9. n. 1. 2018. p. 226-249. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rdp/a/pwgBfQwYm9LfC84wTSrwBGS/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 jan. 2022.

SCKELL, Soraya Nour. Os juristas e o direito em Bourdieu: A conflituosa construção histórica da racionalidade jurídica. In: Tempo Social, revista de sociologia da USP. São Paulo. v. 28. n. 1. 2016. p. 157-178. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ts/a/XtdRCzNSVgJhy4dYDPLDZPB/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 jan. 2022.

VILLEGAS, Mauricio García. On Pierre Bourdieu’s Legal Thought. In: Droit et Société. n. 56-57. 2004/1. p. 57-70. Disponível em: https://www.cairn.info/revue-droit-et-societe1-2004-1-page-57.htm. Acesso em: 10 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2023-01-27

Como Citar

GESSINGER, M. Tema nº 944: entre mudanças e constâncias do campo jurídico. Revista da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 1, n. 32, p. 162–186, 2023. Disponível em: https://revista.defensoria.rs.def.br/defensoria/article/view/541. Acesso em: 28 maio. 2024.