Os povos indígenas no Brasil

a violência do Estado e as formas de resistência

Autores

Palavras-chave:

Povos Indígenas; Violência do Estado; Formas de Resistência; Necropolítica; Vidas Destruídas.

Resumo

O presente trabalho aborda a violência do Estado brasileiro em face dos povos indígenas como dinâmica e prática política que determina as vidas que não merecem ser vividas, bem como busca identificar as formas de resistência dos indígenas como modos de afirmação da importância de suas vidas e sua cultura. A partir do referencial teórico e doutrinário sobre a concepção de necropolítica e de biopolítica e seus reflexos e impactos na sociedade moderna, e tendo como análise a contextualização dos dados divulgados no Atlas da Violência 2021 e do Relatório da Violência contra os Povos Indígenas, publicado em 2020 pelo Conselho Missionário Indigenista conclui-se que no Brasil a destruição das vidas indígenas e seus modos de existir se traduz numa das formas de regulação da vida social, que determina as vidas que merecem ser vividas e as vidas que devem ser destruídas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-06-10

Como Citar

MONTANARI MIGLIAVACCA, K. Os povos indígenas no Brasil: a violência do Estado e as formas de resistência. Revista da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 2, n. 30, p. 105–122, 2022. Disponível em: https://revista.defensoria.rs.def.br/defensoria/article/view/491. Acesso em: 13 ago. 2022.