Litígios estruturais e o direito à educação no Brasil

creches, o modelo de ações coletivas e a execução estrutural

Autores

Palavras-chave:

Litígios estruturais; Direito à Educação; Creches; Ações coletivas; Execução estrutural

Resumo

O presente artigo busca apresentar, sob uma perspectiva de classificação dos litígios estruturais, o enquadramento do direito à educação no Brasil, com enfoque na utilização de execuções estruturais como contraponto ao modelo de ações coletivas para o caso das creches. A metodologia utilizada é a hipotético-dedutiva a partir de uma pesquisa exploratória bibliográfica e de um estudo de caso. Parte do problema: a execução civil comum aplicável às ações coletivas de creches é a melhor forma de garantir a efetividade jurisdicional do direito à educação? A hipótese sustentada sugere a inaplicabilidade do modelo à solução de problemas afetos à direitos sociais e à implementação de políticas públicas, especialmente ao caso da educação e do direito de acesso às creches. Por último, avalia-se o caso da Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público do Estado de Estado de Santa Catarina para a solução e e tutela do direito de acesso às creches na cidade de Joinville, o papel da Defensoria Pública Estadual e os principais problemas experimentados, especialmente a transferência do dever de resolução do conflito ao gestor municipais, sem parâmetros de controle ou de progressão dos trabalhos, à exceção do aspecto temporal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, Vanessa Mascarenhas de. A sentença estruturante e o pleno acesso à justiça. ARENHART, Sérgio Cruz; JOBIM, Marco Félix (coord.). Processos estruturais. 3 ed. Salvador: Editora Juspodivm, 2021. pp. 1135-1149.

ARENHART, Sérgio Cruz; OSNA, Gustavo; JOBIM, Marco Félix. Curso de Processo Estrutural. São Paulo: Thomson Reuters, 2021.

CAPPELLETTI, Mauro. O acesso à justiça e a função do jurista em nossa época. Revista de Processo. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, ano 16, n. 61, jan./mar. 1991.

CNJ, Conselho Nacional de Justiça. Justiça em Números 2020. Brasília, CNJ, 2020.

COSTA, Susana H. da. Acesso à Justiça: Promessa ou Realidade? Uma análise do Litígio sobre Creche e pré-escola no Município de São Paulo. In: GRINOVER, Ada Pellegrini; WATANABE, Kazuo; COSTA, Susana Henriques da (coord.). O Processo Para Solução de Conflitos de Interesse Público. Salvador: Juspodivm, 2017. p. 449-473.

DIDIER JR., Fredie; ZANETI JR, Hermes; OLIVEIRA, Raphael Alexandria. Notas sobre as decisões estruturais. Civil Procedure Review. v. 8, n. 1, p. 46-64, 2017.

DINAMARCO, Cândido Rangel. A instrumentalidade do processo. 7 ed. São Paulo: Editora Malheiros, 1999.

FARIA, Ana Maria Damasceno de Carvalho. A liquidação de sentença como etapa fundamental ao cumprimento de sentenças estruturais. ARENHART, Sérgio Cruz; JOBIM, Marco Félix (coord.). Processos estruturais. 3 ed. Salvador: Editora Juspodivm, 2021. pp. 191-210.

FARIAS, Cristiano Chaves de. ROSENVALD, Nelson. Curso de Direito Civil. 18. ed. rev., atual. e ampl. Editora JusPodivm, 2020.

FISS, Owen. The forms of justice. Harvard Law Review. v. 93, n. 1, nov. 1979.

GAVRONSKI, Alexandre Amaral. Autocomposição no novo CPC e nas ações coletivas. In: ZANETI JR. Hermes (coord.). Processo Coletivo. Salvador: Editora Juspodivm, 2016, p. 333-361.

GRINOVER, Ada Pellegrini. A tutela jurisdicional dos interesses difusos. Revista de Direito Mercantil, Industrial, Econômico e Financeiro. São Paulo, n. 45, jan./mar. 1982.

LUHMANN, Niklas. Sistemas sociais: Esboço de uma teoria geral. São Paulo: Editora Vozes, 2016.

PIZZOL, Patricia Miranda. Tutela Coletiva: Processo coletivo e técnicas de padronização de decisões judiciais. São Paulo: Thomson Reuters Brasil, 2019.

STJ, Superior Tribunal de Justiça. Embargos em Recurso Especial 1.192.577-RS. Corte Especial. Ministra Laurita Vaz. Data do Julgamento: 21.10.2015. Data da Publicação: 13.11.2015.

STJ, Superior Tribunal de Justiça. Recurso Especial 888.081-MG. Quarta Turma. Ministro Raul Araújo. Data do Julgamento: 15.09.2016. Data da Publicação: 18.10.2016, REVPRO volume 265, p. 490.

STJ, Superior Tribunal de Justiça. Agravo em Recurso Especial 1.854.842-CE. Terceira Turma. Ministro Nancy Andrighi. Data do Julgamento: 02.06.2020. Data da Publicação: 04.06.2020.

STF, Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário 341.717-SP. Pleno. Ministro Celso de Mello. Data do Julgamento: 10.06.2002. Data da Publicação: 07.08.2002.

VENTURI, Elton. Execução da tutela coletiva. São Paulo: Editora Malheiros, 2000.

VITORELLI, Edilson. Processo Civil Estrutural: Teoria e Prática. Salvador: Editora Juspodivm, 2021.

Downloads

Publicado

2022-06-10

Como Citar

SESTREM, F. C. Litígios estruturais e o direito à educação no Brasil: creches, o modelo de ações coletivas e a execução estrutural. Revista da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 1, n. 30, p. 123–143, 2022. Disponível em: https://revista.defensoria.rs.def.br/defensoria/article/view/494. Acesso em: 28 set. 2022.